Opep e Rússia concordam em prolongar cortes de produção até o fim de 2018

A
Organização dos Países Exportadores de Petróleo e os outros grandes produtores,
inclusive a Rússia deverão prolongar o acordo de limitar a produção do petróleo
até o fim de 2018, levando em conta que de acordo com eles o objetivo de
reequilibrar o mercado, ainda
sinalizam que poderão interromper o acordo mais cedo caso o mercado
superaqueça, pois tem sobre controle oferta suficiente para respostas se
necessário.

Esses produtores que controlam cerca de 60% da oferta mundial de
petróleo prometeram em Viena continuar reduzindo a produção combinada em cerca
de 1,8 milhão de barris por dia até o fim de próximo ano. Anteriormente, o
pacto iria vencer em março.

De acordo com informação da Reuters, a Rússia precisa de
preços muito mais baixos para equilibrar seu orçamento comparado com a líder da
Opep, Arábia Saudita, que está se preparando para uma venda de ativos da
estatal saudita, Aramco, no mercado de ações no próximo ano e que, portanto,
poderia se beneficiar do petróleo em preços mais elevados.

O ministro de Energia da Arábia Saudita, Khalid al-Falih, disse,

“Nossa projeção é de os estoques não cairão
significativamente nos próximos quatro meses, exatamente como temos visto em
2017”,

O
problema, entretanto se encontra em países fora do acordo, que tem aumentado à
produção, nesse tempo de corte de oferta, como os EUA. Com os preços do óleo Brent, acima dos 60 dólares por barril, a Rússia
questionou a validez de estender os cortes existentes de 1,8 milhão de barris
por dia até o fim do próximo ano, uma vez que tal medida poderia acarretar em
uma alta ainda maior na produção dos Estados Unidos.

Contudo, a Opep e parceiros disseram que poderão rever a
necessidade de manter os atuais limites de produção quando, em junho, voltaram
a se reunir a pedido da Rússia. Isso pode significar que os cortes de oferta
poderão acabar antes do previsto se houver uma avaliação de que os preços em
alta estão ajudando produtores de óleo de xisto dos EUA, em detrimento de
países que estão contendo sua produção.

A
preocupação dos Russos vem de encontro com a posição do presidente-executivo do conselho da Pioneer Natural Resources, Scott
Sheffield, uma das maiores produtoras da bacia Permiana no Texas e Novo México,
que disse,

“Se produtores dos EUA aumentarem o número de sondas ao
longo dos próximos poucos meses devido aos preços mais altos, então eu espero
outro colapso nos preços até o fim de 2018”

Apesar dos
cortes na produção estarem em vigor desde janeiro, o prolongamento do acordo
veio num momento decisivo para toda a indústria do Petróleo, que passa por uma
recuperação lenta e frágil.

FONTE:

[1] Noticia sobre renovação
de cortes de Produção, pode ser encontrada em, https://www.terra.com.br/economia/opep-e-outros-produtores-concordam-com-cortes-de-producao-ate-o-fim-de
2018,d856512fd6fa9833dd84a4de4069e62d7fpm9pa4.html

[2] Notícia de renovação do
acordo da Opep, pode ser encontrada em, http://www.tnpetroleo.com.br/noticia/opep-e-parceiros-devem-manter-cortes-na-producao-ate-fim-de-2018-diz-saudita/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.