Governo dos EUA pode suspender normas de exploração de petróleo

O governo Americano está considerando a possibilidade de suspender
normas criadas para reduzir o risco de desastres ambientais na exploração de
petróleo em águas norte americanas. Essas normas foram criadas pelo governo do
ex-presidente Barack
Obama
 depois do maior desastre ambiental dos Estados Unidos.

No ano de 2010, a plataforma de exploração de petróleo em águas
profundas Deepwater Horizon teve um vazamento de gás metano que teve como
consequência uma série de kicks, que resultaram depois em um Blow out. Os danos
provocados por esse incidente foram enormes, onze pessoas morreram e 115
funcionários foram retirados de helicóptero. A plataforma foi tomada por
completo pelo fogo incontrolável e após dois dias de incêndio, afundou.

Entretanto o poço no fundo do Golfo do México continuou a vazar por óleo
três meses seguido. Cerca de 800 milhões de litros de óleo cru foram despejados
no mar do golfo, causando danos irreversíveis ao meio ambiente e aos animais da
região. Todas as pessoas que tiravam seu sustento daquele lugar, como, por
exemplo, pescadores, passaram meses proibidos de explorar sua única renda, e é
importante notar que estávamos na época de alta temporada, e em decorrência
disso a indústria do turismo teve prejuízos incalculáveis.

       Figura 1: Plataforma Deepwater Horizon em chamas

A empresa BP (British Petroleum), que era responsável pela Deepwater
Horizon foi condenada a pagar uma multa ambiental e limpar toda a área atingida
pelo vazamento, com os processos criminais teve prejuízo somado em punições no
valor de US$ 61 bilhões, ou seja, R$ 201 bilhões, na cotação atual (27/12/2017).
Posteriormente, após investigação da
pericia, foi revelado que o motivo da tragédia foi que dispositivos de
segurança obrigatórios falharam.

De acordo com o jornal Wall Street Journal, o plano que a agência que
regula as normas ambientais da exploração de petróleo dos Estados Unidos, o Bureau
of Safety and Environmental Enforcemen, mandou
para a Casa Branca prevê o fim de inspeções de técnicos independentes e suprime
a palavra “segurança” da lista de exigências para instalar novos
poços. A expectativa com essa mudança é que a indústria do petróleo geraria uma
economia de US$ 900 milhões, ou seja, quase R$ 3 bilhões nos próximos dez anos.

  Figura 2: Presidente Trump em Evento sobre a Reforma
Tributária

Outra notícia de destaque para indústria petrolífera se dá na primeira
grande vitória legislativa do ano do presidente dos Estados Unidos, Donald
Trump, que conseguiu aprovar no dia 20, a reforma tributária, a primeira do
país em 30 anos, anunciada como maior corte de imposto da história do país e
como um presente de Natal para os americanos.

Uma cláusula da reforma autoriza a exploração de gás e petróleo numa
reserva ambiental do Alasca, numa área de 6 mil quilômetros quadrados.Um levantamento revelou que a área abriga uma reserva de 10 bilhões de
barris de petróleo.

FONTE:

[1] Matéria sobre aprovação
do Corte de impostos nos EUA, pode ser encontrada em, http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2017/12/1944855-congresso-dos-estados-unidos-aprova-reforma-tributaria-de-trump.shtml

[2] Matéria sobre suspenção ed normas nos EUA, pode ser
encontrada em, http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2017/12/governo-dos-eua-pode-suspender-normas-de-exploracao-de-petroleo.html

[3] Matéria sobre o desastre
da plataforma Deepwater Horizon, pode ser encontrada em, http://america.aljazeera.com/blogs/scrutineer/2015/4/20/today-marks-5-years-since-the-start-of-the-bp-deepwater-horizon-disaster.html

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.