MÉTODOS DE ELEVAÇÃO ARTIFICIAL

Como visto anteriormente, os métodos de elevação artificial são necessários quando a pressão do reservatório é relativamente baixa e os fluidos não alcançam a superfície sem que sejam utilizados meios artificiais para elevá-los. Dentre esses métodos, o mais conhecido é o Bombeio mecânico por hastes, já que ele é simples e de fácil operação em campo.

image

Figura – Bombeio mecânico por hastes

O Bombeio mecânico por hastes pode ser utilizado para elevar vazões médias de poços rasos, já para grandes profundidades, só consegue elevar baixas vazões. Ele é razoavelmente problemático em poços que produzem areia, em poços desviados e em poços onde parte do gás produzido passa pela bomba. Isso porque a areia desgasta mais rapidamente as partes móveis e a camisa da bomba devido a sua abrasividade, o gás passando pela bomba reduz a eficiência volumétrica, podendo até provocar um bloqueio de gás e para poços desviados este método resulta em elevado atrito da coluna de hastes com a coluna de produção.

Neste método de elevação artificial o movimento rotativo de um motor elétrico ou de combustão interna é transformada em movimento alternativo por uma unidade de bombeio localizada próximo a cabeça do poço. Uma coluna de hastes transmite o movimento alternativo para o fundo do poço, acionando uma bomba que leva os fluidos produzidos pelo reservatório para a superfície. Ficou perdido? Vamos por partes, primeiro vamos conhecer as diferentes componentes do bombeio mecânico por hastes.

image

Figura – Diferentes partes do Bombeio mecânico

Agora sim pode ser mais fácil para se entender, os principais componentes do bombeio Mecânico com hastes são: bomba de subsuperfície, coluna de hastes, unidade de bombeio e motor. Cada um destes desempenha uma função, para que juntos transferiram energia para o fluido para que ele consiga subir ate a superfície. E hoje começaremos falando um pouco sobre a Unidade de Bombeio (UB).

image

Figura – Componentes da UB

1. Viga Equalizadora

2. Viga Principal

3. Plataforma de acesso ao mancal central

4. Mancal central

5. Cabresto

6. Cabeça da UB

7. Mesa do cabresto

8. Escada

9. Tripé

10. Base metálica “Skid”

11. Manivela

12. Contrapeso

13. Mancal manivela ou propulsor

14. Base do redutor

15. Plataforma de acesso ao redutor

16. Protetor de correias

17. Base do acionador

18. Alavanca de freio

19. Grade de proteção

20. Polia do redutor

21. Redutor

22. Biela ou braço

23. Mancal lateral viga equalizadora

24. Mancal equalizador

O sentido da transferência de energia é: motor, redutor, manivela, biela, balancim, cabeça da UB, cabo de aço, haste polida, coluna de hastes, bomba e fluido. E ai, você sabe nomear cada número da imagem? A maioria? Continue acompanhando as nossas publicações para saber mais sobre a Unidade de Bombeio e as demais componentes do Bombeio Mecânico por hastes.

Sophia Paiva
Diretoria de Projetos Portal do Petroleiro
Graduanda em Engenharia de Petróleo

Referências:

THOMAS, José Eduardo et al. (Org.). Fundamentos de Engenharia de Petróleo. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora Interciência Ltda., 2001. 271 p.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.