Pré-sal

Nos últimos anos a descoberta do pré-sal no
Brasil possibilitou uma nova perspectiva para o ramo da exploração de petróleo.
Com um potencial imenso, a área já vem sendo explorada e a tendência é que as
explorações só aumentem. Para que hoje isso possa ocorrer, diversos processos
geológicos foram necessários, assim como várias condições foram e são
determinantes para que tudo ocorra da forma planejada.

A camada do pré-sal tem esse nome devido ao
fato de estar localizada abaixo de uma camada de sal. Ela foi originada durante
o processo de separação dos continentes sul-americano e africano. Durante este
processo houve a formação da crosta oceânica e a deposição de sedimentos e
matéria orgânica, que com o decorrer do tempo e de acordo com as características
e condições necessárias se transformou em uma rocha geradora.

Para que não ocorra a transposição do óleo
gerado é necessário uma rocha sem permeabilidade para atuar como selante, é ai
que a camada de sal aparece. A camada de sal nada mais é que uma camada de
rochas evaporíticas, formadas principalmente por halita que é o que conhecemos
como sal de cozinha. Essas rochas contém propriedades e características que
casam perfeitamente com as condições necessárias para atuar como selante,
permitindo que o petróleo fique armazenado.

As características da camada de sal são
importantes não só por sua impermeabilidade mas também pela forma com que elas
se comportam, podendo ter um comportamento viscoso como também um comportamento
elástico. Desta forma as características contribuem para determinar o projeto
de um poço como também para prever o armazenamento de hidrocarbonetos em
cavernas salíferas.

A camada do pré-sal abrange uma grande área do
litoral brasileiro e sem dúvida alguma é a principal arma do Brasil para se
tornar uma das principais potências na exploração de petróleo. Embora o gasto
para a exploração seja mais elevado que o normal, o retorno esperado excede
qualquer perspectiva ruim que possa ser criada.

Luan Victor
Diretoria de Projetos do Portal do Petroleiro
Graduando em Engenharia de Petróleo

Referências: 

http://www.cefet-rj.br/attachments/article/2943/An%C3%A1lise%20Comport%20Rochas%20Evapor%C3%ADticas%20do%20Pr%C3%A9-Sal%20utilizando%20MEF.pdf

https://www.comunicabaciadesantos.com.br/conteudo/pr%C3%A9-sal-bacia-de-santos.html

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.