Petróleo pode subir para US$100 com aperto na oferta global

image

                                IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA


As principais casas de comércio de petróleo e traders estão prevendo o retorno da commodity aos US$ 100 pela primeira vez desde 2014, enquanto a Opep (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) e seus aliados pensam em maneiras para compensar as sanções dos EUA às exportações do Irã.

Na ultima segunda-feira (24/09) o petróleo Brent subiu para uma alta de quase quatro anos, atingindo a marca do US$ 80, esse é exatamente o tipo de aumento de preços que o presidente americano, Donald Trump, tem procurado evitar ao pressionar a Organização dos Países Exportadores de Petróleo a aumentar a produção. 

A desaceleração da Opep, combinada com sinais de aceleração das perdas de oferta do Irã, criou um clima de alta no encontro anual da indústria petrolífera. De acordo com Daniel Jaeggi, co-fundador do Mercuria Energy Group, em um discurso na S&P Global Platts,

“O mercado não tem a resposta de oferta para um potencial desaparecimento de 2 milhões de barris por dia no quarto trimestre.”

e complementou,

“Na minha opinião, isso faz com que seja possível ver um aumento de preço ao norte de US $ 100 o barril”.

O banco de investimento norte-americano JPMorgan, também seguiu com essa análise, de acordo com eles em seu ultimo boletim, as iminentes sanções dos EUA ao Irã, o terceiro maior produtor da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, trazem perspectivas para o mercado, “um salto para os 90 dólares por barril é provável” para os preços nos próximos meses.

Quando o governo norte-americano anunciou em maio planos para reimpor as sanções às exportações de petróleo do Irã, o mercado estimou um corte de cerca de 300 mil a 700 mil barris por dia, disse o vice-presidente de negociação de petróleo da Ben Trakigura, Ben Luckock.

No entanto, o consenso chegou agora a 1,5 milhão de barris por dia, uma vez que os EUA estão “incrivelmente sérios” em relação a suas medidas, disse ele. A produção do Irã “será significativamente menor do que era, e provavelmente menor do que a maioria das pessoas esperava quando as sanções foram anunciadas”, disse Luckock no evento da APPEC. Ele vê US$ 90 de petróleo no Natal e US$ 100 no início de 2019.

É importante lembrar que o Irã não é o único problema a produção na Venezuela também está caindo devido a uma crise econômica e humanitária nunca antes vista no país.

image

             Gráfico 1: Preço do Brent oil Futures, Gráfico de Bloomberg

Apesar de todas essas pressões de suprimento, para evitar tal fenomeno, os maiores produtores de petróleo do mundo adotaram uma postura de sentar e esperar em sua reunião na capital argelina no domingo. A Arábia Saudita, a Rússia e os Emirados Árabes Unidos insistiram que tinham capacidade ociosa para satisfazer as necessidades do mercado, mas não o usariam preventivamente.

João V.
Diretor de Projetos do Portal do Petroleiro
Graduando em Engenharia de Petróleo

FONTE:
[1] Matéria sobre o Petróleo atingir a marca dos US$80, pode ser encontrada em, http://www.tnpetroleo.com.br/noticia/petroleo-opera-em-alta-apos-reuniao-da-opep-com-brenxt-acima-de-us-80-o-barril/
[2] Matéria sobre Petróleo poder atingir a marca dos US$100, pode ser encontrada em, https://www.bloomberg.com/news/articles/2018-09-24/major-traders-see-return-of-100-oil-due-to-u-s-iran-sanctions?
[3] 

Matéria sobre Petróleo poder atingir a marca dos US$100, pode ser encontrada em, https://br.reuters.com/article/businessNews/idBRKCN1M41DG-OBRBS

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.