Energias

       As fontes de energia não renováveis são aquelas que se
encontram na natureza em quantidades limitadas e se extinguem com a sua
utilização. Uma vez esgotadas, as reservas não podem ser regeneradas.
Consideram-se fontes de energia não renováveis os combustíveis fósseis (carvão,
petróleo bruto e gás natural) e o urânio, que é a matéria-prima necessária para
obter a energia resultante dos processos de fissão ou fusão nuclear. Todas
estas fontes de energia têm reservas finitas, uma vez que é necessário muito
tempo para as repor, e a sua distribuição geográfica não é homogênea, ao
contrário das fontes de energia renováveis, originadas graças ao fluxo contínuo
de energia proveniente da natureza.

Figura – Usina nuclear

       Dos tipos de energia não renovável mais usados no mundo, a
Energia Nuclear é a única que não tem origem fóssil. Ela é obtida a partir da
fissão nuclear de átomos de urânio, um minério extraído em apenas 19 países do
mundo. Muito usado em lugares com pouco potencial hidrelétrico, não emite
poluentes gasosos, mas é um tipo de energia cara, de alto risco ambiental e
social em caso de acidente. Além disso, a energia nuclear gera lixo radioativo
e pode ser usada para a fabricação de armas nucleares.

       Usinas nucleares são usinas térmicas que usam o calor
produzido na fissão para movimentar vapor de água, que, por sua vez, movimenta
as turbinas em que se produz a eletricidade. A parte mais importante é feita no
reator nuclear.

       Nas hastes nucleares do reator nuclear os combustíveis (geralmente de urânio ou plutônio) são depositados e projetando um nêutron começa a gerar uma série de reações em cadeia físicas e químicas que liberam uma grande quantidade de energia térmica. O choque de um nêutron livre com o isótopo 235U causa a divisão do núcleo desse isótopo em duas partes, e ocasiona uma liberação relativamente alta de energia. Dá-se a esse fenômeno o nome de fissão nuclear.

Figura – Funcionamento usina nuclear

       A energia térmica gerada no reator nuclear é utilizada para
aquecer a água em vapor a alta pressão. O vapor obtido será responsável para
operar uma grande turbina, que estão ligados a um dínamo vai gerar
eletricidade.  Uma vez que isto tem
gerado é passado através de um transformador para adaptá-la para ter a
necessidade de ser fornecido para as condições da rede de energia.

       Em alternativa, a energia nuclear pode também ser produzida
através do processo de fusão nuclear, que consiste na união de dois núcleos
leves para formar outro mais pesado e com menor conteúdo energético, através do
qual se libertam também grandes quantidades de energia. Este processo envolve
átomos leves, como os de deutério, tritio ou hidrogênio, que são substâncias
muito abundantes na natureza.

       Deve-se dizer, que o impacto ambiental resultante do
processo de fusão é muito menor, quando comparado com o da energia nuclear
produzida por fissão. Atualmente, esta fonte de energia encontra-se ainda numa
fase experimental, já que a tecnologia ainda não conseguiu criar reatores de
fusão devido às altas temperaturas necessárias para levar a cabo o processo.

Figura – Reatores nucleares no mundo

       Atualmente, no mundo, estão em operação 440 reatores
nucleares voltados para a geração de energia em 31 países. Outros 33 estão em
construção. Cerca de 17% da geração elétrica mundial é de origem nuclear, a
mesma proporção do uso de energia hidroelétrica e de energia produzida por gás.
Alguns países desenvolvidos têm seu abastecimento de energia elétrica com um
alto percentual de geração nuclear. Entre eles, a França tem 78%, a Bélgica
57%, o Japão 39%, a Coréia do Sul 39%, a Alemanha 30%, a Suécia 46%, a Suíça
40%. Somente nos Estados Unidos, os 104 reatores em funcionamento, que geram
20% da eletricidade daquele país, produzem mais eletricidade que todo o sistema
brasileiro de geração elétrica. Além desses reatores, funcionam mais 284
reatores de pesquisa em 56 países, sem contar um número estimado de 220
reatores de propulsão em navios e submarinos.

Sophia Paiva
Diretoria de Projetos Portal do Petroleiro
Graduanda em Engenharia de Petróleo

Referências:
HINRICHS, Roger A.; KLEINBACH, Merlin; DOS REIS, Lineu Belico. Energia e Meio Ambiente. 5. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2015. 764 p.

GOLDEMBERG, José; LUCON, Oswaldo. Energia, Meio Ambiente e Desenvolvimento. 3. ed. São Paulo: Edusp, 2008. 396 p.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.