Desasfaltação a Propano

IMAGEM
ILUSTRATIVA

A
desasfaltação de petróleo faz parte dos processos primários de refino do óleo
cru. Permite a extração e recuperação de frações
oleosas que podem ser utilizadas na produção de compostos mais nobres. A carga
que mantêm a unidade de desasfaltação é conhecida como resíduo de vácuo (RV), rica
em compostos asfaltênicos, que também existem compostos oleosos. O solvente que
é utilizado para extrair é o propano ou uma mistura de hidrocarbonetos de baixa
massa molar (propano e butano). Assim, essa unidade tem como finalidade recuperar
de um resíduo uma fração mais leve (óleo desasfaltado), separando-a de uma
fração mais pesada (resíduo asfáltico).

Foi desenvolvido para a recuperação de frações pesadas
lubrificantes, conhecidas como Bright-Stock e Cylimder-Stock. Mas,
devido ao grande impulso dado ao craqueamento catalítico e ao hidrocraqueamento,
junto com a necessidade de maximizar-se a carga para estes processos, o uso da
extração com solvente foi largamente aumentada, surgindo o processo de descarbonização
a Propano. É um processo consideravelmente simples, constituindo a unidade de
três seções principais: extração, recuperação de extrato e recuperação de refinado.

No Brasil, grande
parte das reservas exploradas produz óleos pesados, uma vez que a crescente
redução no processamento de petróleos leves aliada à crescente demanda por
combustíveis e lubrificantes de melhor qualidade força a indústria nacional de
petróleo a desenvolver processos novos e mais eficientes para o refino do
petróleo e seus resíduos. Os asfaltenos, encontrados em grande quantidade nos petróleos
pesados, devem ser removidos do óleo de modo a se obter rendimentos mais altos
no processo de craqueamento catalítico e produzir um óleo desasfaltado mais
leve. A extração de asfaltenos de um resíduo de petróleo com fluido
supercrítico apresenta-se como uma alternativa viável para o processo de
desasfaltação de resíduo de vácuo na produção de óleo lubrificante.

ESQUEMA
DE DESASFALTAÇÃO A PROPANO

 

Felipe

Diretoria de Projetos do Portal do
Petroleiro

Graduando em Engenharia de Petróleo

 

FONTE:

[1] Informações sobre simulação
do processo de desasfaltação a propano podem ser encontradas em: http://www.proceedings.blucher.com.br/article-details/simulao-do-processo-de-desasfaltao-a-propano-19736.

[2] Informações sobre Simulação do processo de desasfaltação de petróleo pesado
para obtenção de asfaltenos e óleo lubrificante podem ser encontradas em: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/CAMP_4177febc99777a6a60f3d061dd18c081.

[3] Informações sobre processo de refino de
petróleo podem ser encontradas em: https://www.ebah.com.br/content/ABAAAAmqwAF/processo-refino-petroleo?part=16.

[4] Imagem esquematizada
sobre desasfaltação a propano pode ser encontradas em: https://pt.slideshare.net/dissonpontes/aula-07-processos-de-separao/.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.