Petroleiros são atacados no Golfo de Omã

Explosões desativaram dois petroleiros no Golfo de Omã
nesta quinta-feira, forçaram as tripulações a evacuar e deixaram um navio em
chamas, um mês depois de quatro petroleiros terem sido danificados na mesma
área.
Horas depois de os dois navios terem sido atingidos, o secretário de Estado dos
EUA, Mike Pompeo, disse em Washington que a inteligência revista por
autoridades americanas mostrou que o Irã era responsável, perturbando uma
região já instável pelo crescente conflito entre o Irã e os Estados Unidos e
alguns de seus aliados.
As fricções se tornaram tão intensas que outras nações pediram a todos que
mantivessem a calma, em vez de provocar uma guerra total. Na quarta-feira, o
primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, que visitava o Irã e tentava preencher
a lacuna entre o Irã e os Estados Unidos, alertou sobre o risco de entrar em
conflito militar.
Autoridades iranianas negaram qualquer envolvimento em ataques contra
navios-tanque. Mas no final de maio, John R. Bolton, conselheiro de segurança
nacional do presidente Trump, disse que o Irã era “quase certamente”
responsável pelos incidentes anteriores, e Pompeo concordou, dizendo que eles
eram “esforços dos iranianos para elevar o preço de óleo cru.”

Figura 1: Localização do ataque aos petroleiros 

Trump repudiou o acordo de 2015 que limita o programa nuclear do Irã, e
recentemente ele se retirou para cortar as exportações de petróleo do Irã e
enviou forças militares adicionais para a região . Em resposta, o Irã
recentemente ameaçou bloquear o Estreito de Ormuz, o acesso crucial ao Golfo
Pérsico, e disse que pode reduzir sua conformidade com partes do pacto nuclear.
A facção Houthi no Iêmen, apoiada pelo Irã, lançou recentemente ataques contra
alvos na Arábia Saudita , incluindo oleodutos, alimentando temores de um conflito
mais amplo.
Após estes supostos ataques aos dois petroleiros, os contratos futuros do
petróleo subiram até 4% nesta quinta-feira.
Grande parte do petróleo e gás do mundo vem da área do Golfo Pérsico. Parte
dela sai da região por meio de oleodutos, mas uma parte significativa é
transportada por navios que devem atravessar o Estreito de Hormuz e o Golfo de
Omã. Os preços do petróleo subiram mais de 3% nos mercados mundiais nas horas
após as explosões nesta quinta-feira.
“Precisamos lembrar que cerca de 30% do petróleo bruto do mundo passa pelo
Estreito. Se as águas estão se tornando inseguras, o fornecimento para todo o
mundo ocidental pode estar em risco”, disse Paolo d’Amico, presidente da
Associação Internacional dos Proprietários Independentes de Navios-Tanques, em
um comunicado.
As autoridades iranianas sugeriram que o dano aos petroleiros era para impedir
o diálogo amigável e provocar agressão. 
Entre os militares americanos e oficiais da inteligência na região do Golfo
Pérsico, a suspeita recaiu imediatamente sobre a possível cumplicidade iraniana.
Um avião de vigilância da Marinha P-8 sobrevoando os petroleiros afetados
avistou uma mina não explodida presa ao casco do Kokuka Courageous. A chamada
mina de limpet, reportada pela primeira vez pela CNN, lembra o tipo de
explosivo que os investigadores acreditam ter sido usado contra outros quatro
navios no mês passado, disse a autoridade.

Gerlison
Lopes Pinto
Diretoria de Projetos Portal do Petroleiro
Graduando em Engenharia de Petróleo

FONTE:
[1] Matéria sobre ataque a dois petroleiros no Golfo de Omã, pode ser
encontrada em, https://www.nytimes.com/2019/06/13/world/middleeast/oil-tanker-attack-gulf-oman.html

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.